iranyszekelyfold.info

Hospedagem de arquivos em português do futuro

BAIXAR LIVROS ESPIRITAS ELISA MASSELLI


11 de mar de Escritor espírita Elisa Masselli, vídeos de Elisa Masselli, Grátis - Zibia Gasparetto Livros Da Zibia Gasparetto, Audio Livro, Download De. Este é mais um livro da consagrada escritora Elisa Masselli. Ele revela uma história real, onde tragédia e ódio, amor e redenção, fazem parte de um mesmo . Livros Elisa Masselli (Arquivos PDF). É Preciso Algo Mais ( Elisa Masselli).pdf (1,5 MB) · Encontros com a Verdade (Elisa Masselli).pdf (1,6.

Nome: livros espiritas elisa masselli
Formato:ZIP-Arquivar (Livro)
Sistemas operacionais: Android. iOS. MacOS. Windows XP/7/10.
Licença:Grátis!
Tamanho do arquivo:33.33 Megabytes

Apesar de todo o preconceito, criou a sua filha com muita dignidade. Detalhes do livro Veja abaixo alguns detalhes e características deste livro. Obrigado, Zeca. Parece to distante. Vou falar com a Clara e com a me. Colocou tudo o que comprou sobre a mesa. Estou muito preocupada Estudo sistematizado da Doutr. Despediu-se, foi embora. Olha l o Gustavo e a Clarinha! Sobre um mvel, viu um porta-retrato com a fotografia de seus pais. Todos o recebem muito bem. Mapa do Site Arquivos Sobre o blog. O senhor sabe que o filhinho dele est muito doente e que precisa ir at a Capital, no sabe? Curso Preparatório de Espiritismo — Feesp. Atos impiedosos e cruéis impedem a ambos de experimentar a felicidade, causando muitas dores e sofrimento naquela época No tem idia mesmo de quem foi? No entendo nada de jardim! Testemunha do Passado - Francisco Martins.

Este é mais um livro da consagrada escritora Elisa Masselli. Ele revela uma história real, onde tragédia e ódio, amor e redenção, fazem parte de um mesmo . Livros Elisa Masselli (Arquivos PDF). É Preciso Algo Mais ( Elisa Masselli).pdf (1,5 MB) · Encontros com a Verdade (Elisa Masselli).pdf (1,6. Elisa Masselli. Todos, quando nascemos trazemos uma misso. Para poder cumpri-la amigos no faltaro 'Dedico este livro a todos aqueles a quem Deus deu a. Brasileira, nascida em , Elisa Masseli, após presenciar o suicidio de sua irmã mais velha e que lhe criou desde pequena, começou a ler livros espiritas e . Elisa Masselli - A Vida é Feita de Escolhas - documento [*.pdf] A Vida é feita de Sempre que começo a escrever um livro, nunca sei como a história vai continuar; Por muitas vezes me afastei das casas espíritas, embora.

Depois de tudo combinado, começaram a falar sobre a festa, que seria na próxima semana. Dona Maria Tereza estava preparando roupas novas para todos. Tadeu ficaria com Roberta, e José, com Isabel.

Maria Luísa e Rosa Maria ficariam juntas. Quem sabe também arrumemos um namorado, Rosa Maria. Ah, ah, ah. Rosa Maria também riu, mas ficou calada. Quero ficar um pouco com ela, antes de partirmos para o Brasil. Sua avó? Combinei com Rosa Maria de ficarmos juntas na festa de Santo Antônio.

Voltaremos na sexta-feira que antecede a festa. O que acha? Vou adorar! Comeram, cantaram e conversaram. Disse que depois que nos instalarmos, pediremos para papai mandar uma passagem para você.

Isso é ótimo. Na tarde de domingo, Juvenal veio buscar Maria Luísa, que, ao se despedir, combinou o lugar onde iriam encontrar-se no dia da festa.

A família toda ficou preocupada. Ele nunca havia feito isso. Alguma coisa devia ter acontecido. Tadeu e José foram para a casa de Roberta saber o que havia acontecido.

Pararam os cavalos. Bom dia. Estava indo justamente para sua casa. Que febre? Ontem à tarde, quando se preparava para voltar, quase desmaiou. Por isso eu estava indo para sua casa. Preciso ver o meu filho! Ao lado dele, estava o doutor José Maria, médico do povoado. O senhor Tadeu perguntou, aflito: Que febre é essa, doutor? José montou no cavalo e partiu rapidamente. Chegou a casa e contou tudo. Enquanto isso, a. Ele começou a delirar. Talvez venham com ele.

Tomara que sim. Mas vai ficar. Essa febre vai passar. Você vai ficar bom. Tadeu voltou a dormir. Dona Maria Teresa e Rosa Maria chegou preocupada. Dona Maria Teresa, ao ver o filho naquele estado, começou a chorar. Rosa Maria, abraçada ao pai, também chorava. Abriu os olhos mais uma vez. Que bom que vieram! Vou ficar bem Essa febre tem que baixar. Vai, sim, meu filho. Ela também veio me visitar.

Todos se olharam. Tranquilamente, Tadeu. Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,.

Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. Era uma vez uma linda menina que sonhava com o natal, todas as noites antes de dormi ela olhava pela janela de seu quarto e imaginava papai noel em. O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Frederico Schauer Filho Nascimento: 30 de Abril de Falecimento: 11 de Julho de Ele tinha. Você vai ter. Ingbert, Alemanha. Esta narrativa. Quase dois anos e eu, sem a menor, a mínima desconfiança.

Desconfiar Do que eu ia desconfiar?! De nada nem de ninguém. Para Marina, minha afilhada, que quis ler o livro desde o começo. Generosidade 1 Generosidade Sempre que ajudares alguém, procura passar despercebido. Adeilson Salles Ilustrações de L. Vigor era um menino. A Intriga Todos.

Jesus te ama e eu também! Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que. Podemos aprender muitas coisas sobre essa. Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava. É uma forma encontrada para.

Tudo o que ele ganhava, investia em novos negócios, sempre muito lucrativos. Falecimento: 25 de Novembro de Um ato de amor sonhador ao mundo Este livro esta aberto para qualquer idade, pois relata uma historia de amor com a nossa sociedade, uma garotinha de 09 anos de idade busca fazer a diferença sempre dando.

O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando. Vamos ver um pequeno vídeo que nos conta de forma resumida a sua vida. O que vocês gostam de fazer juntos? Davi e Jônatas se consideravam os melhores amigos e amavam. O seu telhado era velho, as paredes eram brancas e à volta da porta e de todas as. O pai de Simbegwire fez o melhor que pode para cuidar.

No dia de 27 de Mês de na Igreja Nossa. O Amor O Amor se resume em se sentir bem, especial, incrivelmente Feliz. Um estado espiritual destinado a trazer muitas coisas boas.

As vezes ele existe em ter alguém por perto ou fazer algo que goste. Minha amiga Amanda perguntou se podia vir aqui brincar. Amanda Silva C. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado,. Aninha e Seus Medos Aninha era uma menina muito medrosa, que tinha medo de tudo. Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal Era uma vez Assim começa um conto de verdade. E o que segue embaixo é um conto que o mundo raramente viu igual.

O conto começa na Dinamarca. Era uma. Zé Chumaço E m um reino distante, o filho da rainha nasceu feio. Foi batizado como José, mas acabou conhecido como Zé Chumaço, por causa da quantidade excessiva de cabelos que tinha.

A rainha se estristecia.

ESPIRITAS BAIXAR MASSELLI LIVROS ELISA

A lenda do homem ignorante Samara Caroline dos Santos Torres Samara Caroline dos Santos Torres A lenda do homem ignorante Meu livro Escrevi este livro, por que no mundo ainda existe pessoas que tratam.

Eu posso? Que bom! A senhora é muito. No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. Julinho sussurrou. Vou pensar no teu caso respondi -lhe,. É assim que o filho Jeferson. Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo?

Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só. Hoje vamos ver um vídeo em que o Padre Bernardo Trocado nos fala. A tristeza foi grande. Algum tempo depois,. Gostaria de contar um pouco do ocorrido em minha vida, descrever aqui o meu testemunho relatando as. Vou deixar tudo bonito pra esperar o menino Jesus que vai nascer!!!

Login Registro. Tamanho: px. Exibir mais. Documentos relacionados. Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso, Leia mais. Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor!

A Menina Que Deixou. De Sonhar. Era uma vez uma linda menina que sonhava com o natal, todas as noites antes de dormi ela olhava pela janela de seu quarto e imaginava papai noel em Leia mais.

A minha vida sempre foi imaginar. Leia mais. Finalmente chegou a hora, meu pai era que nos levava todos os dias de bicicleta. Língua Portuguesa. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Ele tinha Leia mais. Você vai ter Leia mais. Esta narrativa Leia mais. Observe a imagem e produza um texto narrativo, com no mínimo 10 linhas, a partir do título proposto E. A conta-gotas. Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra.

Quando O Passado Nao Passa

Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Sempre que ajudares alguém, procura passar despercebido. Adeilson Salles. Ilustrações de L. Professora: Batasina Colombari. Vigor era um menino Leia mais. Porém, Leia mais. Quando Acontece A Intriga Todos Leia mais. Ele Leia mais. Lilico, Coelho. Você vai ser boa no que Leia mais. Podemos aprender muitas coisas sobre essa Leia mais. Ela era a mais bela Era uma vez uma princesa.

Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava Leia mais. A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava Leia mais.

É uma forma encontrada para Leia mais. Aquele castelo pertence a um rei. Nascimento: 30 de Dezembro de Falecimento: 25 de Novembro de Um ato de amor sonhador ao mundo Um ato de amor sonhador ao mundo Este livro esta aberto para qualquer idade, pois relata uma historia de amor com a nossa sociedade, uma garotinha de 09 anos de idade busca fazer a diferença sempre dando Leia mais.

O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando Leia mais. Meu Amigo Bolacha. Davi e Jônatas se consideravam os melhores amigos e amavam Leia mais. Ana Gonçalves. Cândida Santos. O seu telhado era velho, as paredes eram brancas e à volta da porta e de todas as Leia mais. O pai de Simbegwire fez o melhor que pode para cuidar Leia mais. No dia de 27 de Mês de na Igreja Nossa Leia mais. O Amor se resume em se sentir bem, especial, incrivelmente Feliz.

O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado, Leia mais. Aninha era uma menina muito medrosa, que tinha medo de tudo. Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal Era uma vez Assim começa um conto de verdade.

Era uma Leia mais. A rainha se estristecia Leia mais. O Principezinho. A lenda do homem. Fernanda Oliveira. Todo mundo vai à festa da Giovanna. MADE Oi, tudo bem gente? A senhora é muito Leia mais. Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da Era uma senhora de mais ou menos quarenta anos.

Alegre e sorridente. Era esposa do delegado. Delegado que no tinha muito o que fazer, pois na cidade nada acontecia, s alguns casos de bebedeira ou brigas de vizinhos e que ele cuidava sempre com muita sabedoria.

Ele parou em frente casa e disse, daquela maneira pausada: Dona Carmem Este o meu amigo Zeca. Chegou hoje na cidade. Eu estava passando por aqui e vi que o seu jardim est muito feio. O Zeca um timo jardineiro e pode cuidar do jardim! Sei que vai deixar tudo uma beleza! No vai?! Se a dona Carmem quiser Sabe, Dona Carmem, eu no entendo nada de jardim, mas o meu amigo aqui sabe tudo. Por isso, vou ficar com ele para que me ensine.

Voc me ensina, Zeca? Ensino, claro que ensino! Est bem, o meu jardim est precisando de limpeza. Adoro as minhas rosas e est na hora de tratar delas. Podem comear. Se eu gostar, pagarei muito bem e darei almoo.

Pode deixar, Dona Carmem. O seu jardim vai ficar uma beleza. No vai, Zeca? Dona Carmem nos levou at a um quartinho no fundo do quintal e nos deu as ferramentas que iramos usar. Em seguida, entrou em casa. Eu estava muito nervoso com tudo aquilo. Olhei para Robertinho, dizendo, nervoso:.

Robertinho, o que voc fez? No entendo nada de jardim! Nunca coloquei as minhas mos na terra! Nunca colocou? Mas agora vai ter que colocar. Voc disse que ia me ensinar Como vou te ensinar uma coisa que no sei fazer? No sabe?! No posso chegar agora para Dona Carmem e dizer que voc no sabe nada de jardim! Ela vai pensar que sou mentiroso! E eu no sou! Voc vai ter que limpar o jardim!

Leva essa enxada e vamos comear. Voc precisa me ensinar! No tem outro jeito de sair da confuso em que voc meteu a gente Sabia que a inteno dele era de me arrumar um trabalho. Assim comeou a minha vida de jardineiro. Era tempo de frias, por isso podia ficar comigo o dia inteiro. Aps dois dias, o jardim estava todo limpo e as roseiras podadas. Dona Carmem ficou contente e me recomendou para outras pessoas.

Desde ento, sou o jardineiro oficial da cidade. Viu entrar na penso aquela moa. Chegou h pouco tempo na cidade, alugou um quarto, no fala com ningum. Anda sempre com um leno na cabea, acho que ningum viu o rosto dela.

Preciso levar algum mantimento para preparar o meu almoo! O senhor est bem? Estou muito bem, dona Paulina! Estou olhando para aquela moa que entrou na penso e que est sempre com o rosto todo coberto. Quem ser? No tenho a menor idia de quem ela seja, mas o senhor j soube do dinheiro? Quem ser que mandou? No sei, estou pensando, mas por mais que pense, no consigo chegar pessoa que mandou, muito dinheiro! Ningum aqui na cidade parece ter tanto, a no ser a senhora!

Por que acha isso?! Nasceu aqui, depois foi embora, casou e todos sabem que o seu marido era um homem muito rico. Ele morreu e a senhora voltou, deve ter ficado rica tambm! O senhor est certo em quase tudo.

S que o meu marido perdeu tudo no jogo. Quando morreu, fiquei sem nada, s com uma pequena penso, que d exatamente para eu viver. Ainda bem que tenho esta casa que foi dos meus pais. No tive filhos, sou sozinha no mundo. Essa a verdade. Desculpe-me, Dona Paulina! Acho que fui indiscreto e maleducado, perdoe-me por favor Uma pessoa com dinheiro sempre mais bem recebida.

J pude constatar isso Por que ser que as aparncias valem tanto? Por que ser que s as pessoas ricas tm valor? No sei, mas infelizmente assim. Por isso, peo ao senhor que no comente com ningum o que acabei de dizer.

Deixe que as pessoas pensem que muito rica. Gosto disso! Desculpe-me, por favor, pode ficar tranqila. Tudo o que falamos vai ficar aqui mesmo. Vou pegar os meus mantimentos e ir embora, seno o meu almoo vai atrasar.

Tenha um bom dia! Ela pegou a mercadoria, pagou e foi embora. Quem sou eu para criticar ou julgar a vida dos outros! Logo eu? O mais infame dentre todas as criaturas! Vim para c, me escondi e sou respeitado por todos. To respeitado que at eu mesmo esqueci do canalha que fui e do mal que fiz a tantas pessoas. Sou mesmo um cretino! Parece to distante.

Viu o Robertinho por aqui? Ol, senhor Pedro! Estou pensando na vida mesmo, mas s vezes melhor esquecer. O Robertinho passou aqui pela manh. Veio me contar sobre o dinheiro que o Jos recebeu, saiu dizendo que ia contar para a cidade toda. Aquele menino danado mesmo. Saiu de casa cedinho e at agora no voltou.

A me dele est preocupada. No devia, j conhece o filho que tem. Enquanto ele no contar para a cidade toda, no vai sossegar. O senhor tem razo. Falando no dinheiro, o senhor tem idia de quem pode ter mandado? No ligue para o menino, coisa de criana, mas ele muito querido por todos. Quanto ao dinheiro? No consigo descobrir quem mandou. Deve ser algum daqui, mas quem foi? A que est o mistrio.

O senhor no tem idia? J pensei muito, mas no encontrei ningum aqui na cidade, com tanto dinheiro. O Jos no tem parente algum fora daqui. Ter sido o Prefeito? Se fosse ele, teria feito um discurso, festa e at banda de msica. Simo disse isso gargalhando Jamais faria uma coisa dessas sem um espetculo! O senhor o conhece, sabe como ele No foi ele, no! No sei, mas um dia saberemos, com certeza.

Mesmo porque quem mandou, no interessa. O importante que o menino agora vai ter uma chance para se curar, no? Sabe que isso mesmo, seu Simo! O importante que o menino se cure. Preciso ir. Se o Robertinho passar por aqui, por favor, pea a ele para ir para casa. E o nosso caula, o meu outro filho est em Braslia e s vem aqui de vez em quando.

Por isso, a me fica to preocupada com o pequeno. O senhor e a sua esposa so daqui mesmo? Sim, nascemos aqui. S samos quando o meu filho precisou ir para a Capital estudar. Resolvemos ir junto para que no ficasse. Ficamos l por um bom tempo. O Robertinho nasceu l. Como as coisas no estavam dando muito certo, resolvemos voltar. Robertinho era ainda um beb. O senhor sabe que no conheo o seu outro filho?

Ele faz o qu em Braslia? Ele j esta l h oito anos. Fez faculdade na Capital, prestou um concurso e foi para Braslia. E advogado. Tem trinta anos e at agora no se casou. Amou muito uma moa, mas os pais dela no permitiram o casamento. Ficou muito triste e at agora no se envolveu com mais ningum.

Trabalha muito. Alis, s pensa no trabalho. Acho que para esconder a dor que ainda sente pela separao. Eu, como pai, fico triste, mas no tenho o que fazer. A diferena de idade com o Robertinho muito grande! O senhor no teve outros filhos? Seu Simo Gosta de fazer muitas perguntas. No, no tivemos outros filhos. S o Robertinho quando no espervamos mais. Veio de susto, como se costuma dizer! Sabe que o senhor tem razo! Fico o tempo todo atrs deste balco, vendo todos passarem pela praa e fico tentando adivinhar o que acontece com a vida de cada um.

Pode uma coisa dessa? V tranqilo. Se o Robertinho passar por aqui, eu falo que o senhor est procurando por ele. At logo, seu Pedro. At logo, seu Simo. No comentamos a nossa vida com ningum. Mas senti que poderia contar, me parece ser de confiana.

Se a Consuelo souber disso vai ficar muito braba. Enquanto isso, Paulina chegava em casa. Colocou tudo o que comprou sobre a mesa. Estava de volta cidade, h mais de um. Olhou para a sala. Sobre um mvel, viu um porta-retrato com a fotografia de seus pais.

Nunca poderiam imaginar que um casamento to grandioso, com uma festa to bonita, fosse terminar assim. Quando sa daqui, tinha apenas quinze anos.

Estava com a cabea cheia de sonhos e a certeza de que iria vencer na vida. Olhem o que me restou. Fiquei casada por anos e agora? O que vou fazer? No tenho escolha! No tenho um caminho para seguir! Comeou a chorar. Seu corpo balanava com os soluos. Desde que tudo aconteceu, nunca mais havia chorado. Agora, sem saber o porqu, no conseguia conter as lgrimas. No sei o que fazer da minha vida, a no ser continuar fingindo que sou feliz.

Me ajude, Senhor.

Olhou para a rua. Aquela hora as crianas estavam na escola. A tarde seria aquela gritaria, com todas elas brincando na praa. Por que Deus no me deu um filho?

Foi muito melhor no ter tido um. Agora, seria pior se eu tivesse um ou mais filhos. Bem, no adianta ficar chorando. Preciso fazer alguma coisa com o meu tempo, mas o qu?

Ele aprendeu a mexer com a terra e a plantar. Tratava as plantas com tanto amor que, tanto a terra como as flores, respondiam. Tudo o que plantava florescia lindamente. Naquele dia, por mais que tentasse, no conseguia esquecer o passado. Por que ser? Por que o Simo tinha que tocar nesse assunto sobre o dia em que cheguei? Estou bem, longe de tudo e de todos. Mas e os meus pais? Como estaro? Desde aquele dia no dei mais notcias.

Devem estar preocupados. Vou telefonar, ao menos para que saibam que estou bem. Oi, Zeca! Voc sabe se o Gustavo est em casa? Bom-dia, Clarinha! Ele no est. Vi quando saiu logo cedo e no voltou at agora.

Zeca, por favor, quando ele chegar, diga que preciso falar urgente com ele. Pea para ele me telefonar. Pode deixar, eu falo.

Nada importante, no precisa ficar preocupado. Assim que eu conversar com Gustavo, vai dar tudo certo. Tchau, Clarinha Ela est nervosa. Esse namoro com Gustavo no vai dar certo Estava quase na hora do almoo. Isso muito bom, estou mesmo com fome! O jardim est ficando muito bom!

Est sim, delegado. Esta terra muito boa. Em setembro, tudo estar florido. O senhor ver! Voc no vai entrar para o almoo?

J est na hora. Vou comer e voltar para a delegacia. Estou tentando descobrir quem mandou o dinheiro para o Jos. No contra a lei, Zeca! S estranho. Por que algum mandaria tanto dinheiro, sem dizer quem? Deve ser algum da cidade que tem muito dinheiro e no quer que ningum saiba. Tambm j pensei nisso, mas quem seria?

Embora ningum possa negar que esse dinheiro tenha chegado em boa hora. O menino estava mesmo precisando e urgente. Isso verdade, delegado. Sem esse dinheiro, o Jos no poderia cuidar do filho.

Veja o acervo de livros (arquivo em PDF) - Grupo Scheilla

Ele estava muito angustiado. Zeca, deve ser horrvel no poder cuidar de um filho. A doena do menino grave. Agora ao menos, no vai morrer por falta de tratamento. Seja quem for essa pessoa, que Deus a abenoe. Vamos entrar. Voc viu se o Gustavo chegou? No, ele ainda no chegou. A Clarinha tambm est procurando por ele. No estou gostando desse namoro. Essa menina filha daquela mulher que no sabe nem quem o pai da filha.

Mas a Clara uma boa moa! A me dela tambm! Sabe-se l por que no quis dizer quem ele. No sei, no. Ela nasceu aqui na cidade. De repente ficou grvida e nunca quis dizer quem era o pai. Nasceu a Clara e at hoje ningum sabe. Gosto da menina. S que preciso saber tudo a respeito da famlia, para que no haja problemas para os futuros filhos. Tomara que esse namoro seja s um passatempo para o meu filho.

No gostaria de v-lo casado com uma moa igual a ela. J vivi muito, delegado, e aprendi que dinheiro e posio social no mudam o carter das pessoas. Elas so boas ou no, independentemente do dinheiro ou da posio social. A Clara, embora tenha sido criada sem pai, uma tima menina. Pode ser, mas no gostaria que se casasse com meu filho.

Vou conversar com o Gustavo. Preciso faz-lo entender que ela no uma boa moa para se casar. Quem sou eu para lhe dar um conselho. Mas mesmo assim vou dar. Deixe-os resolver. Em casos assim, no adianta interferir. Quanto mais proibido for, pior ficar. Afinal, se eles se amarem mesmo, no adiantar o senhor proibir. Que isso, Zeca?

Conheo o meu filho! Ele jamais ousaria me desobedecer! Sabe que precisa da minha ajuda para continuar estudando! Sem o meu dinheiro, nunca conseguir ser mdico e esse o sonho da vida dele. Ele ainda muito jovem. Est indo para a Faculdade de Medicina. Sem o meu auxlio, jamais conseguir! Por isso, no h com o que se preocupar. Vamos almoar? Dona Carmem disse que ia fazer aquela carne assada que s ela sabe preparar. Aquela, que ns dois tanto gostamos. Ainda mais quando a comida a da dona Carmem, um pecado estragar.

Entraram e a mesa para o almoo j estava arrumada. O casal tinha outros dois filhos. Snia, com quatorze anos, e Wagner, com onze. Dona Carmem chamou as crianas que vieram e se sentaram. Carmem, onde est o Gustavo? Foi at a biblioteca, j deve estar chegando. Preciso falar com ele sobre a Clara.

Ora, Manolo! No se preocupe com isso. So duas crianas! Ele vai para a faculdade e esse namoro vai terminar. Mesmo assim vou falar com ele. Bom-dia, gente! Cheguei na hora! Bom-dia, meu filho. Sente-se aqui. Depois do almoo precisamos conversar. Est bem papai, mas agora estou com muita fome. Esta comida est cheirando muito bem.

Zeca tornou-se parte de todas as famlias para quem trabalhava. Falava e se portava muito bem mesa, o que fez com que todos tivessem a certeza de que ele era uma pessoa de educao refinada. Por isso, queriam a sua amizade. Na realidade, o que queriam mesmo era saber quem ele era.

Aps o almoo, Zeca voltou para o jardim. O delegado chamou o filho e foram para a varanda. Carmem foi levar os outros filhos para a escola.

Na varanda, o delegado disse: Gustavo, a Clara veio lhe procurar. Quero saber o que est acontecendo entre vocs e por que ela est te procurando? Estamos namorando, mas o que ela queria? No sei o que queria. Ela falou com o Zeca. S quero que termine esse namoro. Ela no uma boa moa para voc!

Como no uma boa moa? Ela no sabe nem quem o pai! E uma tima moa, educada, estudiosa e fiel. Gosto muito dela. Voc muito jovem e est indo para a Faculdade. Por isso, acho melhor terminar esse namoro. Mais tarde, quando voltar, j sendo um mdico, poder resolver.

Estou namorando! No vou me casar agora! Gosto muito dela, mas s estou namorando. Est bem, meu filho. S espero que no queira se casar com uma moa como ela. No se preocupe. Vou falar com o Zeca e ver o que ela queria. At, logo papai.

O senhor tem que voltar para a delegacia? Tenho e j estou indo. Tchau, Zeca! Tchau, delegado. Preocupado, Leandro saiu do quarto. Na sala, sentou-se em frente ao televisor. Artur continuou no quarto até a hora do jantar. Desceu e, calado, jantou. Respondeu a algumas perguntas de seus pais. Após terminar o jantar, deu boa noite e voltou para o quarto. Estava triste, só tinha vontade de chorar. Estava deprimido. Naquela noite dormiu muito bem.

Acordou, lembrou-se que era o dia de ir à casa de Mariana. Olhando no espelho, sorriu enquanto pensava: "Hoje estou bem, assustei-me à toa. Devo mesmo ter comido algo que me fez mal.

Imaginei muitas coisas. Fiquei com medo de estar viciado, mas como Rodrigo disse que só vou me viciar se quiser.

Nunca mais vou fumar. Tudo passou. Seu pai, junto com Leandro, sorriu ao vê-lo entrar na sala. Leandro disse: — Estamos esperando você para irmos ao clube.

E só uma amiga! Nós vamos estudar! Tem que estudar. E só uma amiga. Vamos, Leandro. Vamos aproveitar o sol. Quando estavam saindo, Artur disse: — Esperem só um pouco, só irei à casa de Mariana à tarde, tenho tempo para ir com vocês até o clube. Artur subiu correndo para o quarto, pegou sua roupa de banho e desceu. Artur estava feliz, sentia que tudo estava bem, voltara a ser como antes.

Livros de Elisa Masselli | Estante Virtual

Leandro também estava feliz. Era quase meio-dia quando Odete chegou. Viu seus filhos nadando e brincando. Ficou olhando um pouco, depois chamou os dois: Eles olharam para ela e, juntos, saíram da piscina. Assim que chegaram perto, ela disse: — Esta na hora do almoço, vamos até a quadra esperar o pai de vocês terminar de jogar. Sob protestos, os dois a acompanharam. Todos riram, pois sabiam que ele ficava muito bravo quando perdia no tênis. Artur comeu muito bem.

Após o almoço voltaram para casa, Artur estava ansioso, à hora de ir para a casa de Mariana estava chegando. Vestiu-se, colocou seu tênis. Olhouse varias vezes no espelho. Queria mostrar boa aparência. Havia pensado muitas vezes no que diria a ela. Ela vai aceitar, só tenho que deixar bem claro que preciso estudar.

Mas poderemos nos ver na escola ou na sua casa. Depois a convidarei para que venha até aqui. Voltarei antes do jantar. Odete aproximou-se e beijou o rosto do filho. Artur saiu. Mariana morava a quatro quadras de sua casa.

Decidido, caminhou. Vou parecer um bobo. Sentou-se em um banco. Tremia muito, estava nervoso. Sei que ela gosta da minha companhia.

Que conversa sobre todos os assuntos. Preciso de um cigarro Assim que chegou, tocou repetidas vezes a campainha, mas ninguém atendeu.

Estava nervoso. Trêmulo, tocou, tocou, mas nada. Saiu dali. Vou tentar novamente. Vou até a casa de Mariana. Estava novamente triste e com aquele ardor no estômago. Às seis horas da tarde voltou para casa. Ali tudo continuava como sempre. Entrou, cumprimentou a todas, foi para o seu quarto.

ESPIRITAS ELISA MASSELLI BAIXAR LIVROS

Pare de falar assim! Terminou de subir a escada, entrou no quarto. Mais tarde desceu para o jantar. Continuava nervoso e tremendo. Conversou um pouco, voltou para o quarto. Deitava, levantava, ia ao banheiro. Isso durou a noite toda. Dormia, acordava, levantava e deitava novamente. Artur dormia profundamente quando Leandro entrou.

Aproximou-se da cama e suavemente chamou: — Artur, acorde Artur abriu os olhos. Ao ver Leandro ficou furioso. Sentou-se na cama e disse, gritando: — O que você quer? Artur olhou para o relógio. Ao ver a hora, percebeu que realmente era tarde. Leandro saiu do quarto quase correndo.

Artur permaneceu sentado na cama, sentiu que o tremor e a ansiedade continuavam. Pegou o telefone, discou. O telefone chamou varias vezes, até que alguém atendeu: — Alô, quem é? Preciso de sua ajuda! Desligou o telefone, foi até o banheiro, olhou-se no espelho. Estava com olheiras profundas: "Vou, sim! Odete admirou-se: — Mas, meu filho, hoje é domingo! A ansiedade era intensa, seu corpo continuava tremendo.

O nível de vida dele era bem diferente do de Artur. Ela trabalhava muito para poder manter a casa e seu filho em uma boa escola. Por trabalhar muito, quase nunca estava em casa. Rodrigo vivia praticamente sozinho. Artur tocou a campainha. Vim aqui falar com Rodrigo. Ele ficou olhando tudo a sua volta. Aquela sala era bem diferente da sua, embora estivesse bem mobiliada. Era pequena e apertada.

Em Português ele é muito bom Rodrigo sorriu maroto: — Venha, Artur, vamos para o meu quarto. Artur, um pouco sem graça, seguiu Rodrigo. Estou ansioso e também tremendo muito Sabe me dizer o que é? Estou ficando com medo! Saíram para a rua. Artur estava sentindo-se cada vez pior: Chegaram a uma praça.

Rodrigo disse: — Vamos nos sentar aqui. Preciso do remédio! Pensou um pouco. Tem que haver outro remédio! Estou achando que esse mal-estar que estou sentindo é por causa dos cigarros que fumei! Pegou o cigarro que Rodrigo lhe oferecia: — Vou tentar, preciso fazer qualquer coisa para ficar bem. Tenho que estudar, vamos realmente ter provas esta semana! Rodrigo acendeu o cigarro, deu uma tragada e entregou para Artur, que também fumou do modo como ele havia lhe ensinado.

Após ter dado três tragadas, percebeu que aquele malestar estava passando. E assim mesmo Continuou fumando. A cada tragada parecia que sua cabeça flutuava e sentia ser outra pessoa, diferente daquela que havia chegado à casa de Rodrigo.

Rapidamente começou a rir e querer sair correndo. Rodrigo ficou olhando para ele sem dizer uma palavra, apenas observando. Logo Artur estava muito bem.

Começou a escurecer, lembrou-se que precisava voltar para casa. Foi até a casa de Mariana? Rindo muito, respondeu: — Acredito que sim! Estou muito bem. Despediram-se, e Artur voltou para casa. Sentia que estava tudo bem, todo aquele mal-estar havia passado e ele estava até muito feliz.

Entrou em casa. Pensava: "Sei que vou trabalhar toda a minha vida com computadores. Vou aprender cada vez mais. Quero dominar tudo muito bem. O que mais desejo é aprender a fazer programas". Ficou ali por um bom tempo, até que Leandro entrou sem bater. Chegaram correndo na sala. Odete também sorriu ao ver os dois brincando, mas fingindo estar brava, disse: — Vocês dois, querem parar com essa briga!

Vamos jantar! Todos se sentaram. Artur sentia muita fome. Assim que terminaram de jantar, ele voltou para o seu quarto. Estava na metade do trabalho, precisava terminar. Voltou a mexer no computador, mas logo começou a sentir muito sono. Desligou o computador, deitou-se e dormiu imediatamente. Antes de deitar, Odete passou pelo quarto dele. Vinha acompanhada por Leandro. Leandro se deitou, ela os cobriu e saiu. Olhou-se no espelho.

Percebeu que ainda estava com grandes olheiras. Sua boca estava seca e o tremor voltava com mais intensidade: "E agora, o que vou fazer? Ficou ali por quase meia hora. Saiu do chuveiro, estava um pouco aliviado, mas percebeu que o tremor estava intenso.

Foi para a cama, deitou-se e ficou o resto da noite virando de um lado para o outro. Estranhou ao ver Artur acordado olhando para o teto. Esta sentindo alguma coisa? Antes de sair, olhou para o espelho. Sabia que as espinhas logo mais dariam lugar a uma bela barba. Iracema os servia.

MASSELLI BAIXAR ELISA LIVROS ESPIRITAS

Ele se sentou. Iracema, sorrindo, falou: — Inda bem que o minino hoje vai toma café! Ficava sempre muito preocupado, pois ele quase todos os dias saía sem se alimentar. Coma uma fruta.

Fica só comendo aquelas bobagens da cantina O que queria era mesmo ir logo para a escola, precisava falar urgente com Rodrigo. Terminaram de tomar o café. Deram um beijo em Odete e os dois saíram. Só queria chegar logo à escola. Parecia que a escola estava muito distante, parecia que o trânsito estava parado. Artur assustou-se com aquela pergunta: — Por que esta fazendo essa pergunta? Sempre me atrapalha com perguntas quando estou ouvindo uma notícia!

Finalmente chegaram em frente à escola. Artur desceu apressado, esqueceu-se de dar o beijo que todos os dias dava no pai. Atravessou a rua correndo. Olhou para o lado em que Rodrigo sempre ficava conversando com alguns amigos, sempre os mesmos. Artur se aproximou: — Rodrigo, preciso falar com você. Ainda é cedo, teremos tempo de sair. Saíram da escola, e mais uma vez ninguém percebeu.

Assim que chegaram à rua, Rodrigo deu a ele um cigarro. Artur pegou aquele cigarro e, nervoso, acendeu-o. Deu uma tragada depois da outra, quase sem intervalo.

Aos poucos foi se sentindo melhor. Logo estava muito bem. Sentia que poderia assistir às aulas sem problema algum. Enquanto Artur fumava, Rodrigo, em silêncio, observava. Queria sair dali, olhava a todo instante Fiquei esperando você. Ele se voltou ao ouvir a voz dela, mas sua presença o incomodava, queria mesmo era sair dali.

Ela, nervosa, afastou-se. Finalmente a campainha tocou, dando por encerrada as aulas. Queria correr sentir o ar fresco. Olhou para o caminho pelo qual seu pai costumava chegar. Ficou andando de um lado para o outro, até que finalmente seu pai chegou. Entrou rapidamente no carro. Novamente se esqueceu de beijar o pai. Acreditava que o filho estivesse apaixonado. Apenas sorriu, acelerou o carro e foram embora. Durante o caminho tentou conversar com Artur, mas ele estava distante.

Artur permanecia calado, parecia muito distante dali. Fumei só alguns cigarros! E pouco pra me viciar. Artur foi para o seu quarto, trocou de Em silêncio, começou a comer. Iracema estava em pé ao lado da mesa, terminando de servir.

Aquele menino vai longe. Disse a ele que, se continuar assim, pagarei sua faculdade com mais prazer. Ele é mermo um bom minino! O dotô vai vê! Ele é muito esforçado mesmo. Estava muito preocupado consigo mesmo: "E se eu estiver mesmo viciado?

Como vai ser? O que vou fazer? O que perguntou?

LIVROS ELISA MASSELLI ESPIRITAS BAIXAR

Estou bem! Por que a senhora e o papai ficam fazendo essas perguntas? Deve estar acontecendo alguma coisa. Nada, além disso. O mínimo que posso fazer é aprender. Você, além de ser um bom filho, é também um bom aluno. Vou agora para o meu quarto tentar entender. Nós o amamos muito. Artur terminou de almoçar e foi para o seu quarto. Parece que passou mesmo! Deitou-se só para descansar, mas, sem perceber, adormeceu.

Odete, antes de sair para a escola, foi até o quarto de Artur para ver como estava. Estranhou ao ver que ele estava dormindo. Sorriu, fechou a porta e saiu. Foi falar com Iracema: Odete foi embora. Iracema voltou para seus afazeres.

Sabia que em breve ficaria pior. Levantou-se e, apavorado, foi para o banheiro. Percebeu que seus olhos estavam vermelhos. Voltou para o quarto, olhou o relógio. Vou me apressar, e antes de ir para a aula vou procurar Rodrigo. Vestiu-se, colocou o tênis, pegou a mochila e saiu rapidamente. Quer falar comigo? Artur entrou apressado: — Você precisa me arrumar outro cigarro daqueles. Por quê? Eu lhe dei os meus, mas agora vai ter que baixar para nós dois. Comovamos fazer?

Basta voltar para sua casa e esquecer do bagulho. Preciso ir para a aula! Meu tênis!?! Que vou dizer para o meu pai? Vale muito dinheiro! É importado. Hoje em dia é normal o tênis importado ser roubado. Nunca menti! Artur começou a chorar. Sabia que estava perdido, pois a cada segundo sentia que precisava muito da droga. Conseguiremos uma boa quantidade, que vai dar para nós dois consumirmos por um bom tempo.

Artur, nervoso, concordou. Entraram em uma favela. Pararam em frente a um barraco. Você por aqui novamente? Veio buscar mais erva? Quem é esse? Rodrigo, piscando um olho sem que Artur visse, respondeu: — Vim buscar mais erva, sim.

Este aqui é Artur, ele também quer um pouco. O rapaz olhou primeiro para Artur, depois para o tênis que estava em seus pés. Vale uma boa quantidade de erva. Você vai querer mesmo trocar! Artur também olhou para o seu tênis. Aquele vazio aquela vontade cada vez mais forte Impotente, disse: — Preciso fazer a troca, mas como vou andar sem tênis?

Rodrigo respondeu: Artur se abaixou, tirou os tênis e entregou-os a Jiló, que em troca lhe deu outro par velho e sujo. Ele o calçou, sentindo um mal-estar profundo. Ali mesmo Rodrigo preparou e acendeu um cigarro e deu outro para Artur, que tremendo muito, fumou. Aos poucos, ele foi se sentindo melhor. Sentiu um frio passar por sua espinha, quis sair dali rapidamente.

Saiu correndo. Rodrigo o seguia de longe. Como vou mentir para os meus pais? Tem sempre uma primeira vez. Nunca mais! Vou me livrar de tudo isso.