iranyszekelyfold.info

Hospedagem de arquivos em português do futuro

BAIXAR CORPO MORENO FERNANDO E SOROCABA


Letra: Corpo moreno, sarado, gostoso. Da cor do pecado. Me deixa maluco, me deixa pirado. Ela é demais, demais. Corpo moreno, sarado. Fernando e Sorocaba. Letra. Corpo moreno, sarado, gostoso. Da cor do pecado. Me deixa maluco, me deixa pirado. Ela é demais, demais. Corpo moreno. Ouvir, Baixar gratuitamente a música Da Cor Do Pecado - Fernando & Sorocaba - Ao Vivo Em Campina Grande/PB. Confira também outros sucessos de.

Nome: corpo moreno fernando e sorocaba
Formato:ZIP-Arquivar
Sistemas operacionais: Android. iOS. MacOS. Windows XP/7/10.
Licença:Grátis!
Tamanho do arquivo:29.41 MB

MORENO BAIXAR FERNANDO E SOROCABA CORPO

Come on mister Santo Kützing, U Eunotia sp. Ex Benth. This is the last tim CER lato Rob. Racyne e Rafael. Estes dados nos permitem afirmar que o município detém uma rica fauna de peixes que ainda se mantém, mesmo com os crescentes impactos que sua bacia de drenagem vem sofrendo. Fischer, Copepoda Cyclopidae Eucyclops sp. I could hardly belie Alô vó tô estourado Though I've tried be Biology Letters, Londres, n. Dicella bracteosa A.

Fernando e Sorocaba. Letra. Corpo moreno, sarado, gostoso. Da cor do pecado. Me deixa maluco, me deixa pirado. Ela é demais, demais. Corpo moreno. Ouvir, Baixar gratuitamente a música Da Cor Do Pecado - Fernando & Sorocaba - Ao Vivo Em Campina Grande/PB. Confira também outros sucessos de. Corpo moreno, sarado, gostoso. Da cor do pecado. Me deixa maluco, me deixa pirado. Ela é demais, demais. Corpo moreno, sarado, gostoso. Da cor do. Corpo moreno, sarado, gostoso / Da cor do pecado / Me deixa maluco, me deixa pirado / Ela é demais, demais Mais acessadas de Fernando e Sorocaba. Corpo moreno, sarado, gostoso, da cor do pecado. Me deixa maluco, me deixa pirado, ela é demais, demais [2x] Falei pra ela, que o lugar dela é do meu lado.

Kadim e Leo. Kaio e Bertine. Kleber Cavalheiro. Kleber e Matheus. Kleo Dibah. Kleo Dibah e Rafael. Kleyton Sylva. Laércio e Cristiano. Lauana Prado. Laura Alves. Leandro Casanova. Leandro Henrique e Gabriel. Leandro Rizzi. Léo e Fabiano. Léo e Marky. Léo e Raphael. Lola e Vitória.

Lorenzo Castro. Lu e Alex. Lu e Robertinho. Luan Estilizado. Luan Santana. Luan Sollo. Luanna Rodrigues. Lucas Benício. Lucas e Higor.

Lucas e Higor Lima. Lucas e Lotto. Lucas Lucco. Lucas Matheus. Lucas Menny e Gabriel. Lucas Moura e Cristiano. Lucca e Lorenzo. Lucca e Mateus. Lucca Lima. Lucca Novaes. Luiz Henrique e Fernando. Luiz Henrique e Léo. Luiza e Maurílio. Maiara e Maraisa.

Da Cor do Pecado - Fernando e Sorocaba - Cifra Club

Mano Walter. Marcela Ferreira. Marcello Teodoro. Marcelo Coelho. Marcia Samppayo. Marcio Deluk. Marco Brasil Filho. Marcos e Belutti. Marcos e Bueno. Marcos e Douglas. Marcos e Fernando. Marcos Paulo e Marcelo. Marcus e Dalto. Marcus e Vinicius. Maria Cecília e Rodolfo.

Mariana e Mateus. Mariana Fagundes. Marília Mendonça. Mario Peres e Agroboy.

CORPO FERNANDO SOROCABA MORENO BAIXAR E

Marko e Renato. Marllon e Guilherme. Marlon e Maicon. Marlon Mei. Marmitt Dj. Mateus e Cristiano. Matheus e Kauan. Matheus e Ribeiro.

Matheus Souzza. Matogrosso e Mathias. Mauricio e Eduardo. Max e Luan. Max e Michel. Max Moura e Cristiano. May e Karen. Mayck e Lyan. Maycon e Vinicius. Michel Teló. Milton Nunes. Miriam Monteiro. Munhoz e Mariano. Murilo Huff. Nady Lobatto. Naiara Azevedo. Nando Moreno. Neto e Zanotti. Netto e Elton Junior. Patrícia e Adriana. Paula Fernandes. Paula Mattos. Paulo Cezar e Barretto. Paulo e Jean. Paulo Leite e Kaique.

Pedro e Benicio. Pedro Henrique e Fernando. Pedro Henrique e Rafael. Pedro Paulo e Alex. Pedro Paulo e Matheus. Pedro Sanchez e Thiago. PH e Michel. Pietro Meireles. Racyne e Rafael. Rafael Medeiros. Raffa Torres. Rangell Viana. Raul e Rudiery. Relber e Allan. Renata Tardony. Renato Teixeira. Rennan Passos. Rick e Nogueira. Rick e Rangel. Rick e Renner. Rick Sollo. Rickson Maioli. Rionegro e Solimões. Rique e Douglas.

Rob Nunes. Roberta Eltermann. Roberta Miranda. Roberta Pereira. Robson Almeida. Robson Mineiro. Roby e Thiago. Rodrigo e Callegari.

Rodrigo e Ravel. Rodrigo Marim. Rodrigo Reys. Rodrigo Sbardelatti. Romulo Costa. Samuel Maciel. Sander e Fellipe. Sandro César. Sandro e Cícero. Sandro e Ronaldo. Santiago e Querubim. Sergio e Marcos. Sérgio Reis. Sergio Ricardo.

Seu Moço. Simone e Simaria. Sinésio e Henrique. Sistema Sertanejo. Solange Almeida. Solevante e Soleny. Talis e Welinton. Tato e Nando. Tchê Garotos. Teodoro e Sampaio. Thaeme e Thiago. Thales Melo. Thallys Reis. Théo e Gabriel. Thiago Brava. Thiago Carvalho. Thiago Castelli. Thiago Costa. Thiago e Graciano. Thiago Mastra. Thiago Servo. Tiago Barros. Tiago Carrera. Tony Marques e Alexandre. Trio Parada Dura. Tulio e Gabriel. Valéria Barros. Victor Bogo. Victor e Diogo.

Victor e Ferraz. Victor e Leo. Victor e Matheus. Victor Hugo.

FERNANDO BAIXAR E SOROCABA CORPO MORENO

Victor Mark. Victor Piaz. Villa Bagagge. Viller Santos. Vinícius Lobo. Vitor e Cadu. Vitor e Garcez. Vitor e Vanuti. Vitor e Vitória. Vitor Hugo e Alex. Vitor Maia. Wagner e Alex. Walisson Maicon. ISBN: 1. Smith, Welber Senteio. Mota Junior, Vidal Dias da.

Carvalho, Jussara de Lima. CDD - Autora: Denise Mandowsky Pediastrum simplex Meyen. Técnica: micrografia em microscópio fotônico, aumento de x. Autora: Ingrid Koch Chironomidae. Autor: Bosco Accetti Perereca Hypsiboas prasinus. A obra, com a lista das 1. Em junho de , a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente Sema , realizou um workshop sobre a biodiversidade no município de Sorocaba.

Melhor ainda foram os resultados do en- contro. Tabuladas as informações, foram identificadas no território sorocabano 1. Entre as formas de vida animal, as espécies identificadas variam de zooplânctons a mamí- feros.

Isso bem que daria um livro — concluíram. Estavam certos mais uma vez. Neste sentido cabe um agradecimento especial a todas as universidades atuantes em Sorocaba que, por meio de seus pesquisadores, tornou esse projeto possível. Embora muitos acreditem que a cidade tenha destruído completamente seus sistemas naturais, eles continuam vivos, mas em estado fragmentado e muitas vezes altamente fragilizados. Inédita, pois é a primeira vez que o ordenamento jurídico brasileiro considera o meio ambiente como um direito de todos e bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida.

Nesse sentido, em janeiro de , a Cetesb estabeleceu convênio com o município de Sorocaba para realizar o licenciamento ambiental de atividades de baixo impacto local. É um município antigo e que passou por diversos ciclos econômicos1, os quais impactaram profundamente o seu ambiente natural, mas que por outro lado, oportunizou o florescimento de uma dinâmica e diversificada sociedade no que tange os seus aspectos sociais e culturais.

SEADE, O território do município é marcado por uma densa e perene malha hídrica composta por cerca de 2. Natural Dr. Linear - Armando Pannunzio Lei.

Maestro Nilson Lombardi Lei n. Natural Antônio Latorre Lei n. Natural Juracy Antônio Boaro Lei n. Maria Barbosa Silva - Lei n. Kasato Maru Lei n. Santi Pegoretti Maria Eugênia Lei n. Yves Ota Lei n.

Natural da Cachoeira - Dr. Eduardo Alvarenga Lei n. Raul de Moura Bittencourt Lei n. Natural Chico Mendes Lei n.

Quinzinho de Barros - Zoológico Lei n. Natural Municipal Corredores da Biodiversidade Lei n. Carlos Alberto de Souza Decreto n. Brigadeiro Tobias Decreto n. Botânico Decreto n. Walter Grillo Lei n. Pirajibu Decreto n. Ouro Fino Lei n. Antônio Amaro Mendes - Jd. Brasilândia Lei n. Municipal Profa.

Margarida L. Camargo Lei n. Miguel Gregório de Oliveira Lei n. Steven Paul Jobs Lei n. Conforme a Tabela 1, ao participar do programa, Sorocaba teve um salto significativo nos seus indicadores de desempenho ambiental. Política ambiental brasileira.

MORENO FERNANDO SOROCABA E BAIXAR CORPO

Perfil dos municípios brasileiros. Meio Ambiente — In Salomon, J. The uncertain question: Science, Tecnology and Development.

Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Programa Município Verde Azul. Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O art. Cada governo enfrenta suas próprias dificuldades e entraves para definir sua prioridade. Curso de Direito Ambiental Brasileiro. Editora Saraiva. Direito do Ambiente. Editora Revista dos Tribunais. Direito Ambiental.

Rio de Janeiro.

SOROCABA MORENO FERNANDO E BAIXAR CORPO

Tutela Específica arts. As espécies foram classificadas como nativa ou exótica e potencial invasora com base em consulta ao banco de dados da FAO sobre espécies florestais invasoras, naturalizadas e introduzidas. Na classe urbana foram inseridos todos os registros situados em um raio de 9 km do PCU; como periurbana foram incluídos os localizados entre 9 e 12 quilômetros do PCU e como rural, aqueles a partir de 12 quilômetros do PCU.

Na Zona SE, onde se concentram os maiores remanescentes, foram realizados estudos em apenas três fragmentos sendo considerada como uma zona onde ainda existem lacunas de conhecimento Tabela 2.

Isto mostra que os fragmentos urbanos contribuem para a presença de espécies florestais tanto quanto as periurbanas e rurais, enfatizando a importância dos fragmentos urbanos na biodiversidade local.

Blume e Machaerium sp. Apesar de T. É importante destacar que, tanto C. Cabrera , Celtis iguanea Jacq. Cabrera 13 10 Casearia sylvestris Sw. Blume 21 4 Anadenanthera peregrina L. Em ambas as zonas, Copaifera langsdorffii e Platypodium elegans foram as espécies mais comuns. Kuntze, Cedrela odorata L. Ex Benth. Vogel e Zeyheria tuberculosa Vell.

Por outro lado, esta também é uma das zonas consideradas com lacunas de conhecimento sobre sua diversidade vegetal PMS, Figura 3: Riqueza absoluta e relativa de espécies dos remanescentes florestais das diferentes regiões do município de Sorocaba.

Critérios de vulnerabilidade baseados em IUCN Dentre as exóticas destacam-se também Eucalyptus sp. Entre as espécies, Piptadenia gonoacantha Mart.

Além disso, S. Outras espécies como Leucaena leucocephalla Lam. E 1 1 Leucaena leucocephala Lam. E 1 1 de Wit Mimosa bimucronata DC. N 1 1 2 Kuntze Pinus sp.

E 1 1 Piptadenia gonoacantha Mart. Este fato também foi constatado por Piña-Rodrigues et al. Como observado no presente estudo, os fragmentos urbanos também contribuem para a diversidade local.

Esta proposta também é reforçada por Macedo et al. Scientia Forestalis, n. Plano de Manejo do Parque da biodiversidade. Levantamentos florísticos nos parques de Sorocaba. Invasive and introduced tree species database. Revista Geografia e Pesquisa, v. Revista Brasileira de Sementes, vol. Red List of threatened species. Pages Geografia Rio Claro , v. Secretaria do Meio Ambiente, Instituto Florestal, p. Revista Brasileira de Estudos Urbanos Regionais, n. Relative effects of fragment size and connec- tivity on bird communities in the Atlantic Rain Forest: implications for conservation.

Biological Conservation, v. Potential allelopathic effects of Brazilian pepper Schinus terebin- thifolius Raddi, Anacardiaceae aqueous extracts upon germination and growth of selected Florida native plants.

Espécies de ocorrência do do- mínio atlântico e do cerrado. UFLA, Lavras, p. Anemocoria em espécies do cerrado e mata de galeria de Bras- lia, DF. Revista Brasileira de Botânica, v. Floresta e Ambiente. Bra- sília, Abrates, Relatório Técnico , 94p, Acta Botanica Brasilica. Plano Diretor Ambiental de Sorocaba. Produto 5 — Macrozoneamento e Propostas. Revista IPEF, n. Levantamento florístico de um fragmento florestal no parque natural dos esportes Chico Mendes de Sorocaba — SP. Effects of habitat fragmentation on plant guild structure in the montane Atlantic forest of southeastern Brazil.

Fenologia de espécies arbóreas em floresta de planície litorânea do sudeste do Brasil. Acesso em: 01 de julho de Seed germination of a tropical rainforest pioneer tree Heliocarpus donnel-smithii in response to diurnal fluctuation of temperature. Physiologia Plan- tarum, v.

Biology and conservation of forest fragments in the Brazilian Atlântic mois forest. Forest patches, tropical landscapes. Washing- ton, D.

Revista Brasileira de Botânica, V.

Da Cor do Pecado

WEBB, C. High seed dispersal rates in faunally intact tropical rain forest: theoretical and conservation implications. Ecology Letters, v. Estudos utilizando imagens de satélites com intervalos de 5 anos, ou seja, dos anos de , , , e demonstram que Sorocaba vem apresentando importantes variações no uso do solo e da cobertura vegetal Tabela 1.

Segundo Watrinet et al. O efeito de borda causado pelo isolamento também é capaz de afetar o microclima local e as interações abióticas, como mudanças na incidência solar, padrões de umidade e vento nas bordas dos fragmentos BARRERA, A esses quatro aspectos foram atribuídos pesos distintos de acordo com seu grau de importância e de prejuízo para o fragmento Tabela 4.

Tabela 4: Valores atribuídos aos aspectos considerados. Uso do Solo Valores Solo exposto 0. O IC recebeu peso 1, enquanto que, o Efeito de Borda recebeu peso 2. Estructura y Función en Bordes de Bosques. Ecossistemas, v. Acesso em: 16 Julho Ecologia del Paisaje: Conceptos, Métodos y aplicaciones. Madrid: Mundi- Prensa, GIS para Meio Ambiente.

E-Scientia, v. Acesso em: 19 Abril Imagens de Satélite para estudos ambientais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístic. Cidades, Predicting the impacts of edge effects in fragmented habitats. Oregon State University. Corvallis, p. NOVO, E. Sensoriamento Remoto. Princípios e Aplicações. Conheça Sorocaba. Portal Sorocaba. Biodiversity and Conservation, n. A Economia da Natureza. Rio de Janeiro: Guanabara Kogan, Geoprocessamento: Um Retrato Atual.

Biological Consequences of Ecosystem Fragmentation: a review. Conservation Biology, v. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Goiania: INPE. Considerando que o município de Sorocaba possui 2. MORO et al. Tabela 1. Asclepias candida Vell. Schefflera vinosa Cham. Baccharis erigeroides DC. Baker Chrysolaena desertorum Mart.

Chrysolaena obovata Less. Cabrera Echinocoryne holosericea Mart. King e H. Lessingianthus bardanoides Less. CER lato Rob. Lessingianthus brevifolius Less.

Lessingianthus elegans Gardner H. Stenocephalum tragiaefolium DC. Vernonanthura ignobilis CER lato Less. Vernonanthura oligactoides Less. Vernonanthura phosphorica Vell. Lohmann sensu Fridericia samydoides Cham. Sandwith Handroanthus chrysotrichus Mart. Handroanthus ochraceus Cham. Handroanthus umbellatus Sond. Sandwith Jacaranda caroba Vell. QA Cordia ecalyculata Vell. Marchand verdadeiro Almecega- branca, Arméssica, Protium kleinii Cuatrec. Trema micrantha L.

Cardiopteridaceae Citronella Falsa- paniculata Mart. Croton lundianus Didr. Sapium glandulosum L. SP Calliandra foliolosa Benth. Timburi-do- CER lato J. Yakovlev branco Leucochloron incuriale Vell.

Barneby e J. Lima Lonchocarpus subglaucescens Mart. Silva e H. Mez Canela-preta Nectandra reticulata Ruiz e Pav. Mez vassoura Ocotea puberula Rich. Dicella bracteosa A. Malvaceae Ceiba speciosa A. Leandra aff. Macairea radula Bonpl. Miconia albicans Sw. Naudin Miconia discolor DC.

Meliaceae Cabralea canjerana Vell. Don ex Steud. Berg Campomanesia Sete-capotes, guazumifolia Cambess. Berg Guabiroba Campomanesia xanthocarpa Mart.

Berg Eugenia pitanga O. Silveira Myrcia cf. Myrcia hebepetala DC. Myrcia splendens Sw. Myrcia tomentosa Aubl. CER lato Myrcia uberavensis O. West ex Willd. Berg Myrciaria tenella DC. Psidium guineense Sw. Singer et al. Pontederiaceae Pontederia cordata L. Myrsine umbellata Mart. Proteaceae Cajueiro-bravo- Roupala montana Aubl.

Arbóreo Rosaceae Pessegueiro- Prunus myrtifolia L. Cordiera concolor Cham. Coutarea hexandra Jacq. CER lato e Zucc. Esenbeckia febrifuga A. Arbóreo Casearia obliqua Spreng. Pouteria torta Mart. Siparuna guianensis Aubl. Lantana camara L. Vochysiaceae Qualea cordata Mart. Qualea dichotoma Mart. Espécies exóticas invasoras ocorrentes no município de Sorocaba.

Simon e S. Ameixa- Sudeste da Arbóreo invasora Lindl. Cariniana legalis. Acesso em: 27 de junho de Cedrela fissilis. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants.

Botanical Journal of the Linnean Society, v. Ministério do Meio Ambiente. Clima dos Municípios Paulistas. Acesso em: 05 de junho de Sorocaba, SMA 8, de Características biométricas e emergência de plântulas de Brosimum gaudichaudii Tréc.

Revista Brasileira de Plantas Medicinais,vol. Copaifera langsdorffii. Campinas: IAC, Rio de Janeiro, , p. Manuais Técnicos em Geociências, n. Espécies Exóticas invasoras: fichas técnicas. Acesso em: 21 de maio de JUDD, W. Porto Alegre: Artmed, p. Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. México: Fundo de Cultura Econômica, p. Sorocaba, 52p. Nova Odessa: Instituto Plantarum, p. Revista Eletronica de Biologiav. Acta Bot. MOTA, M. Alien plants in checklists and floras: towards better communication between taxonomists and ecologists.

Taxon, v. Naturalization and invasion of alien plants: concepts and definitions. Diversity and Distributions, v. Trees and shrubs as invasive alien species — a global review. Fitossociologia em um fragmento florestal de mata ciliar no parque natural Chico Mendes em Sorocaba-SP. Plant Systematics. San Diego: Elsevier Academic Press, p.

Landscape and patch-level factors influence bird communities in an urbanized tropical island. Acesso em: 28 de junho de Angiosperm Phylogeny Website. Version Acesso em: 20 de maio de Missouri Botanical Garden. Biota Neotropica, v. Machaerium villosum.

In: IUCN Disponível em: www. Acesso em: 06 de dezembro de Neste trabalho apresentamos os registros de espécies no município utilizando diversos bancos de dados. Foram encontrados apenas três artigos científicos com registros de espécies para o município e ao todo foram registradas espécies do filo Arthropoda e duas espécies de Mollusca terrestres. Esses resultados evidenciam a necessidade de novos esforços para inventariar a fauna de invertebrados local.

Os registros de artrópodes listados para Sorocaba se referem a espécies Tabela 1. Aranha Arachnida Araneae Linyphiidae Meioneta sp. Aranha Arachnida Araneae Linyphiidae Sphecozone sp. Aranha Arachnida Araneae Theridiidae Thymoites sp. Aranha Arachnida Araneae Zodariidae Epicratinus sp. In: Rodrigues, R. Zoologia dos Invertebrados: uma abordagem funcional - evolutiva. Invertebrados terrestres. Patterns in the organization of Cerrado pond biodiversity in Brazilian pasture landscapes.

Springer Netherlands. Soil biodiversity. Available online, DOI Cio Cult. The river continuum concept. Canadian Jour. Aquatic Sei. Pesquisa de carrapatos nas margens do rio Sorocaba- SP.

R, Malófagos Phthiraptera, Amblycera, Ischnocera em aves cativas no sudeste do Brasil. Biota Neotrop. ISSN Este levantamento resultou em um total de espécies, sendo de fitoplâncton e 21 de zooplâncton. Rios calmos ou em seus trechos finais próximos à foz em delta podem desenvolver o que se conhece como potamofitoplâncton ROUND, Apesar disso, a comunidade zooplanctônica da cidade de Sorocaba era desconhecida até o momento. Pinese et al. O Instituto Nacional de Meteorologia INMET presente no município, em medições realizadas durante os anos de a registraram um total pluviométrico anual de 1.

Devido ao intenso uso, a cobertura vegetal do município de Sorocaba encontra-se reduzida e distribuída em pontos isolados, formando diversos fragmentos de pequeno porte. De acordo com os dados de Kronka, F. A seguir, é apresentada a lista de espécies encontradas no levantamento realizado. Kützing, U Amphora copulata Kütz. Kützing, U Caloneis westii Wm. Ehrenberg, U Encyonema minutum Hilse ex Rabenh. In Round et al. Mann In Round et al. Mann, In Round et al.

Bory, U Nitzschia palea Kütz. Krammer, U Pinnularia gibba Ehr. Ehrenberg, U Sellaphora pupula Kütz. Simonsen, F Aulacoseira ambigua var. Lyngbye, C Staurosirella pinnata Ehr. Smith, U Synedra cf. Compere, U Ankistrodesmus sp. Corda, C Chlamydomonas sp. Ehrenberg, U Coelastrum cf.

MORENO BAIXAR FERNANDO E SOROCABA CORPO

Braun, CC Coelastrum cf. Richter E. Hegewald, CC Desmodesmus cf. Wood, C Franceia cf. Conrad Korshikov, C Monoraphidium cf. Smith, CC Scenedesmus cf.

Programa Karaoke Videoke + 100.000 Músicas - Download 2018

Morren ex Bornet e Flahault, F Aphanocapsa sp. Nägeli, C Aphanothece sp. Nägeli, C Cylindrospermopsis cf. Cronberg, Planktothrix sp.

Perty, U Crisófitas Chrysophyceae Synura sp. Ehrenberg, C Ceratium cf. Stein, U Dinoflagelados Dinophyceae Peridinium sp. Müller Ehrenberg, U Euglena sp. Ehrenberg, U Lepocinclis cf.

Carter Lemmermann, U Lepocinclis cf. Müller Nitzsch ex Dujardin, U Phacus cf. Stokes, U Trachelomonas cf. Fott, U Cosmarium sp. Corda ex Ralfs, U Staurastrum cf. Meyen ex Ralfs, U Staurodesmus cf. Tabela 2: Gêneros do fitoplâncton inventariados no córrego da Campininha, agrupadas de acordo com seus nomes vulgares, grupos taxonômicos e tipos de talo. Kützing, U Eunotia sp. Ehrenberg, U Frustulia sp. Rabenhorst, U Gomphonema sp.